Compartilhe:

Certamente você gostaria de ouvir o bumbo e o contrabaixo bem definidos em sua mixagem, correto?

Talvez umas das coisas que não deixe o som chegar nessa tão esperada definição possa ser o compressor.

Uma boa equalização, sem dúvida, trará um resultado satisfatório, mas, se você deixar os dois instrumentos com a mesma intensidade de transientes, possivelmente a sonoridade não ficará tão agradável.

Comprimir o bumbo e o contrabaixo juntos é uma boa opção, às vezes, faço isso, porém sempre comprimo os dois individualmente, antes dos dois instrumentos irem para um grupo, assim consigo ajustar os eventos de áudio de modo individual.

Pense comigo: digamos que você tenha um canal de bumbo e um canal de contrabaixo. Quando você usa um compressor, qual é o seu pensamento? Onde deseja chegar?

Pois é, se você não tem o som em sua mente que você deseja alcançar, isso significa que você não tem referências para a sua sonoridade.

Escutar músicas pode ajudar, aliás, uma música de referência pode lhe auxiliar.

O ratio e release são imprescindíveis na hora de comprimir um contrabaixo, mas o ataque é super importante.

Um ataque rápido, pode deixar as frequências altas do bumbo em evidência. Enquanto com um ataque lento, o contrabaixo pode ficar mais na frente e com o punch tão esperado.

É por isso que perguntei qual a sonoridade que você deseja chegar, um pequeno ajuste pode mudar totalmente o rumo da mix.

Claro que esse ponto a que se deseja chegar não se aprende do dia para noite, e você conseguirá identificá-lo em outras mixagens quando seu ouvido estiver treinado para isso.

Na área VIP existem artigos com tutoriais em vídeo, onde explico sobre o compressor, além de dar exemplos práticos para serem aplicados em suas mixagens.

Deixe seu comentário.

Você usa compressor no contrabaixo? Tem dificuldades com a região grave em suas mixagens?